Atendimento: Seg - Sex | 09:00-18:00
Email: contato@kardan.com.br Envie uma mensagem: (47) 99971-5155

Com a economia cada vez mais digital, a coleta de dados pessoais se tornou a nova mina de ouro das empresas com propósito de atingir diretamente essas pessoas de algum modo. No YouTube, em especial, essas informações são muito usadas em toda a plataforma para diversos fins. Por isso, a LGPD e o uso do YouTube são o tema deste artigo.

Para tonar esse recolhimento de dados mais seguro e com o tratamento correto, foi criada a Lei Geral de Proteção de Dados. O único obstáculo para quem trabalha com a rede social é pensar na adequação de algumas etapas para adequar-se a LGPD.

Neste post, falaremos mais sobre como fazer isso com base nos princípios da lei e o que acontece a quem desrespeitar a regulamentação. Acompanhe até o final e descubra como mudar sua abordagem em seu canal do Youtube.

 

Bases legais da LGPD

De acordo com a LGPD, não é mais possível guardar ou tratar informações como nome, e-mail, número de telefone, comportamento de navegação, entre outros, sem o prévio consentimento de cada usuário. Assim, se for realmente necessário obter essas identificações, é obrigatório pensar nas bases legais, como:

  • Transparência: informar ao titular a coleta e uso dos seus dados;
  • Necessidade: é, de fato, necessário recolher esse tipo de dado?
  • Livre acesso: o usuário pode solicitar alteração ou exclusão de algum dado;
  • Segurança: todos os dados devem estar 100% seguros;
  • Não discriminação: não é permitido usar um dado de certa situação vulnerável para fazer propostas de vendas;
  • Consentimento: o titular precisa dar sua autorização expressa.

Portanto, se a sua ideia é fazer marketing e usar as informações dos internautas para criar estratégias direcionadas, precisa avaliar e revisar determinadas abordagens para não ser punido pela nova regulamentação.

 

A LGPD e o uso do YouTube

O YouTube é hoje uma das ferramentas mais usadas por quem quer mais engajamento e alcance, devido ao sucesso do formato de vídeos. No entanto, como outra rede social qualquer, essa também precisa ficar em compliance com a LGPD. Para saber mais, explicaremos como dar os primeiros passos nesses ajustes dos conteúdos pagos e orgânicos. Veja:
 

Conteúdo pago

A mídia paga está em quase todos os canais, pois é a maneira mais fácil e rápida de atingir determinada audiência para os negócios. Para que seja feita essa entrega assertiva, é necessário levantar dados de usuários, o que significa que a LGPD adicionará algumas etapas nos anúncios.

Por detrás da monetização, há muitas pessoas: a rede de anúncios, mediadores, desenvolvedores e editores. A coleta do consentimento dos usuários finais fica para quem pertence aos dois últimos grupos. Enquanto, as redes e mediadores devem ficar atentos às questões de política de privacidade, explicando que usam as informações pessoais e como.

Isso significa que, se você faz uso do YouTube para fazer campanhas segmentadas, precisa pedir autorização para os titulares para que os seus dados sejam tratados para personalização. Nesse caso, mostre a ele as vantagens de receber esses anúncios com base nos seus interesses, mas sempre deixando claro a finalidade deles.
 

Conteúdo orgânico

A Lei Geral de Proteção de Dados também protege menores de idade quanto à privacidade infantil. Em caso de compartilhamento de conteúdo para esse público, não apenas o YouTube como os criadores são responsabilizados a cumprir regras. Nesse sentido, a plataforma de vídeos passa a limitar a coleta de cookies desses usuários, restringindo certas funcionalidades.

Além disso, vídeos em que nomes pessoais ou identificações de outras redes sociais são usadas, necessitam de licença para serem divulgados, pois esses tipos de dados são considerados identificáveis.
 

Sanções e adequações da LGPD

As medidas para quem desrespeitar a LGPD podem complicar algumas empresas, pois há desde advertências com prazos de ações corretivas até multas que podem chegar a 2% do faturamento ou R$ 50 milhões por infração.

Vale ressaltar que o prejuízo não será apenas financeiro, como também reputacional para quem não seguir a lei. Por isso, é importante segui-la em todas suas estratégias, até mesmo nas redes sociais como o YouTube.

Entendeu a relação da LGPD e o uso do YouTube? A implementação da lei exige que algumas atividades sejam revisadas, mas, como resultado, podemos esperar seguidores mais satisfeitos e um maior número de conversões, afinal, apenas quem se interessa pelas suas soluções procurarão por elas. O mais importante é não perder mais tempo e começar a adequação agora.

 

Deixe uma mensagem

Open chat
Olá,
Como podemos lhe ajudar? Se quiser falar conosco via whatsapp, clique no botão abaixo e envie-nos uma mensagem.