Atendimento: Seg - Sex | 09:00-18:00
Email: contato@kardan.com.br Envie uma mensagem: (47) 99971-5155

A preocupação com a privacidade das informações pessoais e sensíveis dos indivíduos tornou-se uma tendência em todo o mundo, sobretudo no ambiente virtual. Para resolver os impasses relacionados a essa proteção, foi criada no Brasil a Lei Geral de Proteção de Dados, que passará a valer em 2021. No Inbound Marketing – abordagem digital para atrair novos clientes – a LGPD afeta diretamente nas ações elaboradas. Afinal, são usados dados com frequência para atingir o público certo, no momento mais oportuno. LGPD e Inbound Marketing: o que muda nas suas estratégias?

Com a regulamentação, será necessário entender alguns limites nessas atividades para usá-los ao seu favor e, ao mesmo tempo, não infringir as normas da nova lei. Mas se você não sabe como fazer isso, não deixe de ler este artigo! A seguir, mostraremos o que muda nas suas estratégias de marketing de atração.

 

Por que você deve se preocupar com a Lei Geral de Proteção de Dados?

A Lei Geral de Proteção de Dados pode influenciar muito no caixa da empresa. Para aquelas que descumprirem com suas regras, haverá multas de R$ 50 milhões ou 2% do faturamento. Por isso, é de suma importância saber como tratar os dados privados dos titulares.

As determinações definidas são aplicáveis ao tratamento de informações offline e online. Portanto, as atividades de Inbound Marketing também são afetadas pela LGPD, considerando a utilização excessiva de dados pela metodologia, para segmentar e comunicar com os seus clientes de forma assertiva por todo o funil de vendas.

 

No que a LGPD pode limitar as ações de Inbound Marketing?

O marketing de atração tem como foco atrair e conquistar consumidores que, de fato, se interessam naturalmente pela marca e pelos seus conteúdos. Nesse caso, a regulamentação apenas estabelece a obrigação da permissão dos usuários para manter uma relação com eles.

Por isso, o limite da LGPD sobre o Inbound se concentra na necessidade das organizações reverem os seus métodos de coleta, armazenamento e processamento de dados pessoais. Por outro lado, é uma grande oportunidade para mostrar transparência com suas ações e traçar táticas mais eficientes.

 

LGPD e Inbound Marketing: como fazer na era da nova lei?

As suas estratégias de Inbound, certamente, não serão mais as mesmas depois da implementação da Lei Geral de Proteção de Dados. Para entender como você pode adaptar o seu planejamento, separamos alguns aspectos necessários para o seu negócio estar em conformidade. Veja:
 

Apresente com clareza os motivos da coleta

A LGPD exige a transparência por parte de todos os negócios. Isso significa a necessidade de indicar ao titular os motivos da captação das suas informações, por quanto tempo serão armazenados e quem lidará com eles.

No Inbound Marketing, os leads sabem que você precisa do e-mail deles para enviar o material, mas é preciso dizer que este será usado para estabelecer uma comunicação contínua e somente com esta finalidade. Nesse caso, fica a critério do usuário disponibilizar o seu contato ou não.
 

Peça permissão em primeiro lugar

O consentimento do usuário é o pilar mais importante da Lei Geral de Proteção de Dados. Sem essa autorização, a empresa não pode fazer nada. Por isso, elabore caixas de licença, sem prévia marcação, para que as pessoas selecionem que leram e concordam com as políticas de privacidade e termos de uso.

Uma forma menos engessada de fazer isso é perguntando quais os tipos de conteúdo o lead se interessa em receber, além do material baixado. Essa é uma boa estratégia para otimizar suas segmentações e ficar em compliance.
 

Não desvie a finalidade em hipótese alguma

Ao informar a finalidade do recolhimento dos dados, o seu tratamento não pode ser usado para outra razão. Por exemplo, se você converter um e-mail para enviar um determinado conteúdo e começar a usá-lo para mandar ofertas de produtos, será punido pela lei. Assim, para cada ação diferente feita, é preciso obter uma aprovação específica.
 

Pense na facilidade de consulta por parte dos leads

A legislação garante o direito do titular consultar os seus dados a qualquer instante, além de solicitar a alteração ou a sua exclusão. Cabe às empresas apagar ou mudar no menor tempo possível e avisar que a ação foi concluída, ressalvo alguns casos.

No Inbound, essa pode ser a oportunidade para segmentar cada vez mais, pois se alguém pedir para mudar sua profissão, por exemplo, ajuda a direcionar os conteúdos certeiros. Uma sugestão para automatizar essa exigência, é guardar as informações em nuvem e oferecer uma senha aos titulares, para somente eles acessarem. No entanto, não se esqueça de criptografá-las para não serem violadas.
 

Deixe exposto o direito de revogar a concessão

Além de permitir a saída do lead da sua base, é essencial deixar claro e explícito a possibilidade dele sair quando quiser em um link visível para isso, tanto no momento da coleta quanto no decorrer dos disparos das mensagens. Talvez, você veja um grande número de pessoas desejando não receber mais suas comunicações, de modo que, isso pode ajudar a repensar todas as suas ações.

 
Tendo todos esses aspectos em mente, você consegue alinhar LGPD e Inbound Marketing sem problemas. Esse é o melhor caminho para evitar dores de cabeça futuras, portanto, comece a se preparar para as mudanças o mais rápido. Ficou curioso em saber mais sobre os limites da LGPD? Então, entenda mais sobre como a nova lei afetará o futuro do Marketing Digital e fique em compliance o quanto antes.

Para adequar sua empresa a essas mudanças, conheça nossa parceira Zemus – Segurança da Informação, uma empresa especializada em adequação LGPD, que poderá oferecer soluções para adaptar a sua empresa às novas mudanças.

 

Deixe uma mensagem

Open chat
Olá,
Como podemos lhe ajudar? Se quiser falar conosco via whatsapp, clique no botão abaixo e envie-nos uma mensagem.