Atendimento: Seg - Sex | 09:00-18:00
Email: contato@kardan.com.br Envie uma mensagem: (47) 99971-5155

O que muda no marketing das clínicas odontológicas com a LGPD

Ao longo dos anos surgiram muitas leis que mudaram a forma como as empresas atuavam em níveis operacionais e de serviços. Com a nova Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor até 2021, isso não será diferente e, tende a mudar o marketing das clínicas odontológicas com a LGPD.

Para os profissionais da saúde, a legislação afetará não apenas o modo de fazer marketing, como também as estratégias de comunicação. Por isso, é preciso começar a pensar em como adaptar as ações à LGPD.

Em geral, basta seguir os pilares da nova lei para conseguir fazer as alterações e, neste artigo daremos algumas dicas de como se preparar para inciar esse processo de adequação/compliance. Confira tudo na sequência!

 

Relação entre a LGPD e Marketing

A Lei Geral de Proteção de Dados foi criada sob 10 princípios, que nortearão todas as ações de marketing das empresas a partir do momento que entrar em vigor. Dentre eles, destacam-se três: transparência, finalidade e consentimento.

Esses pilares estão fortemente ligados ao Marketing, pois muitos negócios não se preocupam em dizer com clareza que as informações são coletadas, para que e, muito menos, pedir licença de uso para os titulares. Isso sem mencionar o grande volume de dados tratados e armazenados para inúmeros objetivos, sem uma causa específica.

 

Limitações no Marketing das clínicas odontológicas com a LGPD

O processo para estruturar um Marketing de sucesso exige que as informações particulares dos indivíduos sejam usadas para segmentar bases e direcionar da melhor forma as campanhas.

A LGPD pode ter um impacto, mesmo que em níveis baixos ou médios, no planejamento dessas ações, principalmente daquelas em que os titulares não sabem da utilização dos seus dados para esse desígnio.

Em clínicas odontológicas, essa é uma área que lida com informações sensíveis, como o estado de saúde dos pacientes. Assim, algumas mudanças terão de ser feitas no momento de captar e tratar tudo isso, para evitar a todo custo o vazamento ou utilização indevida desses dados.

Nesse caso, é necessário entender que a nova lei surgiu para dar o direito às pessoas de terem conhecimento e aceitar que seus dados sejam coletados, por quem, para qual finalidade e por quanto tempo. Toda a atuação da empresa na sua divulgação deve considerar esse conjunto de transparência.

 

Adequações do Marketing da sua clínica odontológica para LGPD

De fato, teremos muitas alterações para serem feitas conforme o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados sobre o Marketing nas clínicas, mas de que forma combinar as normas com o plano definido? Confira a seguir:

 

Site

Todo profissional dentista ou clínica precisa de um site para conseguir mais leads e atingir outros objetivos. Entretanto, algumas práticas deverão ser alteradas, a começar pelas políticas de privacidade e termos de uso, utilização de informações dos visitantes (cookies), atendimento e formulários de qualquer natureza.

Em todas essas estratégias, fica obrigatório informar quando há o recolhimento de dados e para que, além de solicitar o consentimento para tratá-los e armazená-los. Ainda, é dever da empresa criptografar (a criptografia é desejável, assim como a anonimização) desde a concepção, para que não sejam acessados por pessoas indevidas.

A questão de acesso indevido deve ser tratada dentro da princípio de confidencialidade, ou seja, a informação/dado deve estar disponível apenas a quem precisa. Aqui entra a questão de segmentação de acesso aos arquivos. Se todos tem acesso a tudo, então não existe confidencialidade.

 

Páginas de captação de leads

É muito comum que dentro dos sites haja páginas para reter particularidades de leads, ou seja, as famosas landing pages. Essas páginas são muito usados para captar pessoas interessadas em suas soluções e estreitar a relação com elas de forma contínua, deixando seus e-mails em um formulário.

A partir da LGPD, é indispensável ser transparente no momento da coleta, informando a finalidade, que não pode ser mudada posteriormente, além do pedido de autorização. Isso sem mencionar que as perguntas devem ser medidas, para não serem coletados dados que não serão utilizados para esta finalidade em específico da coleta.
 

E-mail marketing

Depois do processo de captura dos leads, os profissionais da área costumam utilizar o e-mail marketing para nutrir essas pessoas com conteúdo informativo e envio de promoções. Para ajustar essa tática, o primeiro passo é atualizar sua lista de contatos pedindo autorização e diferenciando aqueles que recebem apenas materiais educativos, promoções, newsletter etc.

Após esse processo, procure tomar cuidados para usar os endereços eletrônicos exclusivamente para o propósito concedido e deixe claro a saída para o lead revogar sua decisão a qualquer instante.
 

Campanhas pagas

Os anúncios patrocinados são mais uma das ações aplicadas para atingir os usuários propensos a converter, mas também precisam ser adequados. Em geral, as clínicas aproveitam os dados dos visitantes do site para recolher cookies e utilizá-los para fins comerciais.

Nesse sentido, será necessário avisar na política de privacidade que essas informações pessoais serão coletadas e tratadas para esse objetivo. Uma dica é apresentar pontos benéficos sobre receber mídias personalizadas de acordo com o que a pessoa procura. Assim, fica mais fácil conquistar a concessão e as chances de vender são maiores.

Agora, você já sabe o que muda no Marketing das clínicas odontológicas com a LGPD e pode oferecer o melhor atendimento sem ser inoportuno, pois, em cada ação é preciso ter autorização dos pacientes e leads. E o melhor, tudo em conformidade com a regulamentação.

Aprofunde-se no assunto e leia agora o que a LGPD muda nas estratégias de marketing.

 

Open chat
Olá,
Como podemos lhe ajudar? Se quiser falar conosco via whatsapp, clique no botão abaixo e envie-nos uma mensagem.